Após anos de redução, matrículas nas escolas de Maceió crescem 7,9%

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Dados foram coletados do Painel Educacional do Município e da Secretaria de Educação da Capital

Pátio interno da Escola Municipal Pompeu Sarmento / Foto: Pei Fon / Semed

Por Maria Luíza Dantas*

O objetivo das políticas públicas educacionais é criar as condições para o acesso, assegurar a permanência e promover a aprendizagem dos estudantes. Na semana em que é comemorado o Dia do Estudante (11 de agosto), a Agência Tatu analisou o número de estudantes matriculados nas escolas de Maceió nos últimos sete anos.

Segundo informações coletadas no Painel Educacional do Município e junto à Secretaria de Educação de Maceió, após anos de queda no número de matrículas na rede pública municipal, em 2021 as escolas públicas da capital tiveram um aumento de 7,9% no número de estudantes matriculados em relação a 2020. 

Em 2015, quando se iniciou a série histórica, 49.629 estudantes estavam matriculados na rede de ensino de Maceió. Em 2016, 2018 e 2020 ocorreram quedas no número de estudantes matriculados. 2020 foi o ano com a menor quantidade de alunos matriculados em toda a série histórica: 48.913 estudantes. 

Em 2021 o número de estudantes nas escolas públicas da capital voltou a crescer. Com um aumento de 6,34% em relação a 2015 e de 7,9% na comparação com o ano anterior, Maceió passou a ter 52.776 estudantes em sua rede de ensino, o maior número desde 2015.

Veja o gráfico:

No caso das creches e pré-escolas, o ano de 2015 foi o responsável pelo menor número de matrículas, correspondendo a 5.975 alunos matriculados. Por outro lado, em 2021 a cidade totalizou 9.777 matrículas. Um incremento de 63,6% mais crianças matriculadas no ensino infantil nos últimos 7 anos. 

Outro indicador mostrado no Painel é referente ao número total de matrículas no ensino fundamental. Em 2019 houve o menor número de matriculados no ensino fundamental, onde foram 32.995 matriculados. Já em 2021, ocorreu o maior número de matrículas da série histórica, contabilizando 36.672 matrículas, um acréscimo de mais de 11% entre os dois anos. 

A Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJAI) também é avaliada no Painel. Para este público, a menor taxa de matriculados foi  em 2020, com 6.002 alunos. Já o ano com a maior taxa de matriculados foi 2016, com 8.566 estudantes.

Com relação à educação especial, que abrange os estudantes com algumas deficiências, em 2015 apenas 2.328 matrículas foram realizadas. Já o ano de 2019 foi o de maior quantidade de matriculados: 3.735. A Secretaria de Educação de Maceió não apresentou a quantidade de matriculados nesta categoria em 2021. 

Veja:

Questionada sobre as medidas para melhorar os índices de matrícula na capital, a Secretaria de Educação de Maceió informou que as ações, medidas e projetos que buscam melhorar os indicadores educacionais serão descritos no planejamento estratégico da rede, previsto para acontecer em setembro. 

A Secretaria ainda relata que “a rede tem investido em vários benefícios que impactam de forma positiva na melhoria dos indicadores educacionais, a exemplo do Bolsa Escola Municipal-BEM, entregas dos kits de merenda escolar, bem como adaptação e restauração de vários ambientes escolares”.

*Estagiária sob a supervisão da Editoria

Assine a nossa newsletter

Recomendadas pra você

Receba conteúdo gratuito da Tatu diretamente no seu WhatsApp.