Após anos de redução, matrículas nas escolas de Maceió crescem 7,9%

Dados foram coletados do Painel Educacional do Município e da Secretaria de Educação da Capital

2803 Reforma Escola Pompeu Sarmento Pei Fon - Após anos de redução, matrículas nas escolas de Maceió crescem 7,9%
Compartilhe

O objetivo das políticas públicas educacionais é criar as condições para o acesso, assegurar a permanência e promover a aprendizagem dos estudantes. Na semana em que é comemorado o Dia do Estudante (11 de agosto), a Agência Tatu analisou o número de estudantes matriculados nas escolas de Maceió nos últimos sete anos.

Segundo informações coletadas no Painel Educacional do Município e junto à Secretaria de Educação de Maceió, após anos de queda no número de matrículas na rede pública municipal, em 2021 as escolas públicas da capital tiveram um aumento de 7,9% no número de estudantes matriculados em relação a 2020.

Em 2015, quando se iniciou a série histórica, 49.629 estudantes estavam matriculados na rede de ensino de Maceió. Em 2016, 2018 e 2020 ocorreram quedas no número de estudantes matriculados. 2020 foi o ano com a menor quantidade de alunos matriculados em toda a série histórica: 48.913 estudantes.

Em 2021 o número de estudantes nas escolas públicas da capital voltou a crescer. Com um aumento de 6,34% em relação a 2015 e de 7,9% na comparação com o ano anterior, Maceió passou a ter 52.776 estudantes em sua rede de ensino, o maior número desde 2015.

Veja o gráfico:

No caso das creches e pré-escolas, o ano de 2015 foi o responsável pelo menor número de matrículas, correspondendo a 5.975 alunos matriculados. Por outro lado, em 2021 a cidade totalizou 9.777 matrículas. Um incremento de 63,6% mais crianças matriculadas no ensino infantil nos últimos 7 anos.

Outro indicador mostrado no Painel é referente ao número total de matrículas no ensino fundamental. Em 2019 houve o menor número de matriculados no ensino fundamental, onde foram 32.995 matriculados. Já em 2021, ocorreu o maior número de matrículas da série histórica, contabilizando 36.672 matrículas, um acréscimo de mais de 11% entre os dois anos.

A Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJAI) também é avaliada no Painel. Para este público, a menor taxa de matriculados foi  em 2020, com 6.002 alunos. Já o ano com a maior taxa de matriculados foi 2016, com 8.566 estudantes.

Com relação à educação especial, que abrange os estudantes com algumas deficiências, em 2015 apenas 2.328 matrículas foram realizadas. Já o ano de 2019 foi o de maior quantidade de matriculados: 3.735. A Secretaria de Educação de Maceió não apresentou a quantidade de matriculados nesta categoria em 2021.

Veja:



Questionada sobre as medidas para melhorar os índices de matrícula na capital, a Secretaria de Educação de Maceió informou que as ações, medidas e projetos que buscam melhorar os indicadores educacionais serão descritos no planejamento estratégico da rede, previsto para acontecer em setembro.

A Secretaria ainda relata que “a rede tem investido em vários benefícios que impactam de forma positiva na melhoria dos indicadores educacionais, a exemplo do Bolsa Escola Municipal-BEM, entregas dos kits de merenda escolar, bem como adaptação e restauração de vários ambientes escolares”.

*Estagiária sob a supervisão da Editoria

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Ilustração com fundo laranja e o mapa de alagoas ao fundo e uma colagens de cadeiras de escola com um ventilador de teto em cima.

Emergência climática: a cada 10 escolas públicas em AL, 6 não têm climatização

Belém, São Brás e Taquarana são as cidades que menos possuem climatização em sala de aula
Imagem produzida por Edson Borges com suporte de ferramenta de inteligência artificial

Nordestinos, negros e mulheres são maioria entre jovens que não estudam nem trabalham no Brasil

Especialistas destacam vulnerabilidade e falta de oportunidade para jovens dentro deste perfil
Capa da matéria sobre Mulheres concluintes dos cursos de graduação. Imagem com fundo transparente em tom lilás e duas mulheres negras sorrindo com chapéus de formandas.

Mulheres são mais de 60% dos concluintes dos cursos de graduação no Brasil

População feminina que possui ensino superior completo aumentou de 14% para 21,3% nos últimos 10 anos; proporção reduziu em cursos de tecnologia e exatas
Imagem de uma criança pequena brincando, em preto e branco. Ao fundo um arcos iris em tons pasteis. Capa da matéria sobre crianças que não frequentam creches no nordeste.

Quase 800 mil crianças no Nordeste não frequentam creche por dificuldade de acesso

Número representa 25% do total de crianças na faixa de 0 a 3 anos de idade, na região