Censo aponta que 137 escolas de AL não têm acesso a água potável

Levantamento avalia também presença de rede de esgoto, banheiros e acesso a rede de internet

Screenshot 2021 06 18 at 15 45 19 Google Maps - Censo aponta que 137 escolas de AL não têm acesso a água potável
Compartilhe

Com a chegada do novo coronavírus, salas de aula do mundo inteiro ficaram fechadas para evitar a transmissão do vírus, sendo necessário recorrer ao ensino remoto como um tipo de paliativo. Mais de um ano após o início da pandemia, diversos estados do Brasil já começam a pensar maneiras para retomar o ensino presencial.

O Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB), entidade que congrega os Tribunais de Contas brasileiros, levantou, com base nos dados do Censo Escolar de 2020, as condições de infraestrutura de todas as escolas de ensino básico do país, incluindo informações de todas a instituições do estado de Alagoas às quais a Agência Tatu teve acesso.

De acordo com o censo da educação básica, realizado em 2020 pelo INEP, o dado que mais chama a atenção é o de acesso à água potável: 137 escolas de todo o estado não dispõem desse recurso para o consumo dos estudantes. Elas se dividem em 15 das redes estaduais, 114 das redes municipais de cidades de todo o estado e oito das redes privadas de ensino.

Veja:



Além disso, condições sanitárias mínimas se fizeram ausentes em diversos estabelecimentos escolares. 73 escolas não contam com redes de esgoto e a presença de banheiros é ausente em quatro instituições.

Outro fator de relevância, e que deve ser levado em consideração, é a disponibilização do acesso a rede de internet. Em 732 escolas alagoanas não há qualquer tipo de acesso à internet. Destas, três pertencem à rede estadual de ensino, sendo duas delas escolas indígenas localizadas nos municípios de Feira Grande e Traipu.

O estudo do instituto levou em consideração os seguintes dados extraídos do Censo Escolar 2020: acesso a água potável, presença de rede de esgoto, banheiros e acesso a rede de internet. Foram analisadas 2.927 escolas estaduais, municipais e particulares.

O Comitê do  Instituto Rui Barbosa salienta que o censo escolar realizado pelo INEP é preenchido pelas próprias instituições de ensino e secretarias de educação. Por esse motivo é possível que erros no preenchimento do censo causem distorções nos resultados da pesquisa, mas destaca que as instituições devem zelar pelo preenchimento correto destes dados, já que erros dessa natureza podem atrapalhar a criação de políticas públicas para a educação.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação e o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de Alagoas (que representa as escolas privadas), mas até o fechamento da matéria não obtivemos resposta.

*Estagiária sob supervisão da Editoria

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

SururuBot Agencia Tatu - Agência Tatu lança robô que escreve matérias de utilidade pública com auxílio de IA

Agência Tatu lança robô que escreve matérias de utilidade pública com auxílio de IA

Projeto piloto divulga vagas de emprego em Maceió e é o primeiro da startup que utiliza Inteligência Artificial generativa; todo conteúdo passa por revisão humana
capa fake violencia alagoas - É  falso! Violência em Alagoas não aumentou em 2023

É  falso! Violência em Alagoas não aumentou em 2023

Dados de 2022 e 2023 mostram redução de 1,2% no número de casos de mortes violentas intencionais; feminicídio teve queda de 34%
mulher segura bloco de construção criado com materiais recicláveis de carapaças de siri

Blocos ecológicos: carapaças e conchas se tornam material de construção em Alagoas

Reportagem especial da Agência Tatu mostra como resíduos se transformaram em materiais sustentáveis através da ciência
fake cepa braskem - É falso! Colapso de mina da Braskem não deve afetar principal avenida de Maceió

É falso! Colapso de mina da Braskem não deve afetar principal avenida de Maceió

Avenida Fernandes Lima está fora da área de risco; Entenda nos mapas