Denúncias de intolerância religiosa em Alagoas caíram 70% em 2020

Dados são da Comissão de Promoção da Igualdade Social da OAB

Sede da OAB AL - Denúncias de intolerância religiosa em Alagoas caíram 70% em 2020
Compartilhe

As denúncias contra crimes de intolerância religiosa em Alagoas caíram 70% em 2020, quando comparado ao ano anterior. Isso é o que revelam os dados da Comissão de Promoção da Igualdade Social da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Alagoas, analisados pela Agência Tatu. Enquanto em 2019 foram registradas dez denúncias de intolerância religiosa, no ano passado apenas três casos foram notificados à OAB-AL.

No estado do “Quebra do Xangô” – episódio histórico que ocorreu em 1912, quando uma milícia armada invadiu, quebrou e destruiu objetos sagrados de terreiros em Alagoas -, a perseguição contra as religiões de matriz africana continua. Segundo os dados da Comissão, as 13 denúncias registradas entre 2019 e 2020 são de crimes de intolerância praticados contra religiosos de matriz africana.



Como denunciar casos de intolerância religiosa em Alagoas?

Em contato com a reportagem da Agência Tatu, a Comissão de Promoção da Igualdade Social informou que a OAB se prontifica a ouvir a vítima, testemunhas e advogados. “Realizamos o encaminhamento do que foi apurado e enviamos ao Ministério Público e demais autoridades que estão acompanhando”, explicou Alberto Jorge, presidente da Comissão de Promoção da Igualdade Social.

“Também acompanhamos a vítima durante o registro do Boletim de Ocorrência nas delegacias, garantindo que a vítima será ouvida de forma respeitosa e que as autoridades policiais entendam que o caso de intolerância religiosa é um crime, combatendo o racismo institucional que identificamos em tantos casos”, afirmou.

Para realizar denúncias de intolerância religiosa, é possível entrar em contato diretamente com a Comissão de Promoção da Igualdade Social da OAB-AL, por meio do contato: (82) 98809-8656. O Disque 100 – serviço gratuito direcionado aos abusos cometidos contra princípios dos direitos humanos – também é uma alternativa para receber e registrar denúncias desse tipo de crime.

É crime?

A intolerância religiosa é uma prática ilegal e inconstitucional, sendo considerada crime, com pena dosada de um a três anos de reclusão, além do pagamento de multa, conforme a Lei de nº 9.459/1997.
O artigo 208 do Código Penal Brasileiro também versa sobre o tema. “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena – detenção, de um mês a um ano, ou multa”.

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Capa da matéria "Mais de 285 mil famílias no Nordeste não tem banheiro em suas casas" publicada originalmente na Agência Tatu.

Mais de 285 mil famílias no Nordeste não tem banheiro em suas casas

Maranhão é o estado com maior quantitativo de domicílios sem banheiro em todo o país
Ilustração com fundo laranja e o mapa de alagoas ao fundo e uma colagens de cadeiras de escola com um ventilador de teto em cima.

Emergência climática: a cada 10 escolas públicas em AL, 6 não têm climatização

Belém, São Brás e Taquarana são as cidades que menos possuem climatização em sala de aula
Colagem em preto e branco de pessoas com baldes e bacias em menção aos domicílios brasileiros sem água encanada

67% dos domicílios brasileiros sem água encanada estão na região Nordeste

Em todo o país, mais de 4,8 milhões de pessoas residem em domicílios sem água canalizada
pessoas em situação de rua

Nordeste lidera aumento de violência contra pessoas em situação de rua

Somente em AL, mais de 300 pessoas em situação de rua foram mortas nos últimos 11 anos; Segurança Pública de diversos estados não identifica condição de vítimas ou tem dados subnotificados