Trabalho infantil: Em AL, denúncias feitas em 2021 já superaram registros de 2020

Dados do Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos foram obtidos via Lei de Acesso à Informação

sandrolima - Trabalho infantil: Em AL, denúncias feitas em 2021 já superaram registros de 2020
Compartilhe

O artigo 227 da Constituição Federal determina que é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente uma série de direitos. Em Alagoas, o aumento significativo no número de denúncias contra exploração do trabalho infantil mostra que ainda há muito a se fazer pelas crianças.

No primeiro semestre de 2021 foram registradas 26 denúncias de trabalho infantil no estado. Esse número é maior do que o total de denúncias feitas em 2020, quando foram registradas 24 denúncias.

Os dados, obtidos pela Agência Tatu via Lei de Acesso à Informação (LAI), são do Painel de Dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, e contabilizam o número de denúncias feitas ao Disque 100. O período analisado foi janeiro de 2020 a junho de 2021, totalizando 18 meses.

No panorama de 2021, foi constatado que 50% do total de denúncias realizadas se concentraram no mês de junho, que é dedicado à campanha nacional de combate a esse tipo de violência. Fevereiro e abril registraram apenas dois casos cada um. Confira:

Ainda segundo as informações obtidas via LAI, a faixa etária com maior número de denúncias registradas em 2021 foi a dos 7 a 9 anos de idade. No que diz respeito ao sexo das vítimas, 10 eram meninas, 9 eram meninos e 7 não tiveram sexo identificados.

A superintendente da Criança e do Adolescente da Seprev, Samylla Gouveia, explica alguns dos fatores relacionados à cultura do trabalho infantil. “O trabalho infantil ainda é um tabu, porque na maioria das famílias existe uma cultura de que é melhor a criança estar trabalhando do que está roubando, e, de fato, isso traz prejuízos. Desde a educação dessa criança, porque ela deixa de estudar para trabalhar e fica também vulnerável a outros tipos de violências”, explica a psicóloga.

A superintendente também explana as ações tomadas pela Secretaria de combate ao trabalho infantil. “Hoje nós temos, em parceria com o Ministério Público do Trabalho, um fórum de erradicação do trabalho infantil que une várias instâncias governamentais e sociedade civil, que realmente vem fortalecendo essas ações focadas nesse enfrentamento ao trabalho infantil”, finaliza.

COMO DENUNCIAR

O trabalho infantil compreende todo tipo de trabalho realizado por crianças e adolescentes abaixo da idade mínima permitida, de acordo com a legislação de cada país. O Brasil, como regra geral, proíbe o trabalho para quem ainda não completou 16 anos, salvo quando realizado na condição de aprendiz, sendo permitido a partir dos 14 anos.

As denúncias para violência contra a criança ou adolescente podem ser feitas por meio do Disque Direitos Humanos (Disque 100), mantido pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. E também pelo 0800 280 9390 ou o aplicativo da Seprev VIOLÊNCIA ZERO, disponível de forma gratuita para telefones Android.

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Ilustração com fundo laranja e o mapa de alagoas ao fundo e uma colagens de cadeiras de escola com um ventilador de teto em cima.

Emergência climática: a cada 10 escolas públicas em AL, 6 não têm climatização

Belém, São Brás e Taquarana são as cidades que menos possuem climatização em sala de aula
Capa da matéria "Mais de 285 mil famílias no Nordeste não tem banheiro em suas casas" publicada originalmente na Agência Tatu.

Mais de 285 mil famílias no Nordeste não tem banheiro em suas casas

Maranhão é o estado com maior quantitativo de domicílios sem banheiro em todo o país
pessoas em situação de rua

Nordeste lidera aumento de violência contra pessoas em situação de rua

Somente em AL, mais de 300 pessoas em situação de rua foram mortas nos últimos 11 anos; Segurança Pública de diversos estados não identifica condição de vítimas ou tem dados subnotificados
Colagem em preto e branco de pessoas com baldes e bacias em menção aos domicílios brasileiros sem água encanada

67% dos domicílios brasileiros sem água encanada estão na região Nordeste

Em todo o país, mais de 4,8 milhões de pessoas residem em domicílios sem água canalizada