Agência Tatu combaterá fake news com apoio da Meta e ICFJ

Nordeste sem Fake contará com um robô que coletará conteúdo suspeito para checagem

Ilustração gráfica com fundo verde com imagens em xilogravura de cactos, nuvens, passáros e sol. No centro em primeiro plano tem uma placa de trânsito amarela com os dizeres "FAKE" e um símbolo de proibido.
Compartilhe

A Agência Tatu de Jornalismo de Dados foi uma das selecionadas no Programa Acelerando a Transformação Digital – Educação Midiática e Combate à Desinformação, uma iniciativa do International Center for Journalists (ICFJ) e Meta, empresa dona do Facebook e Instagram. Dentro do programa, a Tatu desenvolverá o projeto “Nordeste sem Fake”.

As 15 organizações selecionadas vão receber mentorias com duração de dois meses, que iniciarão a partir de julho. Para realizar a criação de um projeto ou produto digital, os veículos receberão um fundo de apoio de 15 mil dólares. O objetivo é realizar trabalhos que atuem na educação midiática e contribuam com o combate à desinformação.

Novo projeto da Tatu

O “Nordeste sem Fake” tem o objetivo de desenvolver um robô, que se chamará Dandara, responsável por identificar possíveis conteúdos de desinformação publicados nas redes e mídias sociais, como fake news sobre as eleições locais de 2022. 

A iniciativa será focada no Nordeste, já que outros grupos de checagem de fatos e combate a fake news se concentram no contexto nacional. A pretensão é atuar em todos os nove estados do Nordeste e a Dandara estará de olho no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube. 

O robô será essencial para o projeto, já que ele filtrará, por meio de inteligência artificial, uma grande quantidade de informações e conteúdos. Após a filtragem inicial, o time da Tatu fará todos os trabalhos de pesquisa, análise e produção da checagem. 

Além da Tatu, outras duas organizações do Nordeste foram selecionadas para participar nesta nova fase do projeto. A Agência Saiba Mais, do Rio Grande do Norte, e o Marco Zero Conteúdo, de Pernambuco.

Veja a lista com todos os selecionados para essa nova fase do projeto:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

hanseníase no nordeste

Nordeste é a região que menos reduziu casos de hanseníase no Brasil

Dados do Ministério da Saúde mostram redução de 33,1% de casos de hanseníase entre 2013 e 2022
Capa da matéria sobre empreendedores surdos do Nordeste. Fundo em azul com mãos, em preto e branco, fazendo os sinais em Libras formando a palavra Negócio Acessível".

Empreendedores surdos provam que deficiência não limita capacidade de ter a própria empresa

Reportagem especial traz histórias de três empreendedores surdos e seus negócios
Capa da matéria sobre violência em ambiente escolar.

Combate à violência em ambiente escolar ganha força com nova lei

Legislação surgiu como forma de conter ataques em escolas; 2023 foi o ano com maior quantidade de casos nos últimos 22 anos
pessoas em situação de rua

Nordeste lidera aumento de violência contra pessoas em situação de rua

Somente em AL, mais de 300 pessoas em situação de rua foram mortas nos últimos 11 anos; Segurança Pública de diversos estados não identifica condição de vítimas ou tem dados subnotificados