Novo ensino médio: entenda como vai funcionar

Currículo, carga horária e formação técnica fazem parte das mudanças; veja como será em AL

Capa Alunos - Novo ensino médio: entenda como vai funcionar
Compartilhe

A partir deste ano, os alunos que ingressarem no ensino médio das escolas públicas ou privadas do país, passarão a  contar com nova grade curricular, carga horária, abordagem interdisciplinar, entre outras mudanças. A alteração, aprovada em 2017, começará pelo 1° ano do ensino médio, devendo atingir o 3º ano em 2024.

Como passa a valer este ano, a nova modalidade gera muitas dúvidas em torno do assunto. Por isso, a Agência Tatu separou os principais pontos para se entender como vai funcionar o Novo Ensino Médio.

O novo formato compreende o aumento nas horas letivas anuais, mudanças nas grades curriculares e até mesmo no próprio objetivo do ensino médio. A nova forma de ensino passará a preparar o aluno não apenas para o ensino superior, mas também para o mercado de trabalho, com foco nas áreas da profissão  que o estudante pretende seguir, além de  proporcionar cursos técnicos que possibilitarão a inserção no mercado de trabalho.

Como vai ficar a carga horária ? 

O tempo dedicado ao ensino médio será expandido. As aulas, que antes tinham duração de 4 horas, passarão a ter uma duração de 5 horas, o que resultará no final do ano letivo num total de mil horas letivas anuais, ou seja, um aumento de 200 horas do regime anterior.

Nova grade curricular

A nova grade curricular trará agora as disciplinas divididas em quatro áreas de conhecimento,  modelo semelhante ao adotado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros vestibulares. São elas:

  • Linguagens e suas tecnologias ( Língua Portuguesa, Inglês, Artes e Educação Física)
  • Matemática e suas tecnologias ( Matemática )
  • Ciências da natureza e suas tecnologias  ( Biologia,Química e Física)
  • Ciências humanas e sociais aplicadas ( História, Geografia, Sociologia e Filosofia).

Essas áreas vão abranger todas as matérias que já eram trabalhadas anteriormente em sala de aula, não havendo a exclusão de nenhuma delas, mas os conteúdos serão  ministrados de forma interdisciplinar, isto é, estabelecendo um relação entre diferentes disciplinas.

Esta parte da grade curricular vai ocupar 60% do total de horas letivas, o equivalente a 1.800 horas, divididas entre 1º, 2º e 3º anos do ensino médio.

Itinerários formativos

Esse componente também é uma novidade e vai funcionar com o objetivo não só de aprofundar as quatro áreas do conhecimento, mas também na formação técnica profissional, conforme a escolha do aluno. Essa modalidade somará uma carga horária de 1.200 horas, dividida pelos três anos do Ensino Médio.

Os outros 40% do currículo serão preenchidos por esses itinerários. Este componente contempla a escolha que o estudante irá fazer para ter uma formação a partir de suas preferências e intenções de carreira.

Neste caso, ficará sob escolha do aluno escolher um itinerário para compor sua grade, além de poder optar por outros itinerários ao longo dos três anos, caso deseje e a escola ofereça outra opção com vagas disponíveis. As disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa serão obrigatórias em todos os três anos do itinerário.

No total são disponibilizados cinco itinerários, em que quatro deles são de um aprofundamento nas áreas de conhecimento já disponibilizadas na grade: Linguagens e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

educacao multipla - Novo ensino médio: entenda como vai funcionar
Ilustração: Freepik

Ou seja, caso o aluno escolha a área de  Ciências da Natureza, por exemplo, além de estudar as disciplinas que já compõem essa área, ele terá um aprofundamento a mais.  Por fim, o aluno poderá optar, também, pelo quinto Itinerário, que é uma Formação Técnica e Profissional (FTP).

Dessa forma, o estudante poderá ter a autonomia para escolher em qual área do conhecimento ele irá se aprofundar. Segundo o Ministério de Educação (MEC), este itinerário pode variar de acordo com as escolas e com as necessidades e escolhas dos estudantes, além das redes de ensino possuírem autonomia para definir quais itinerários serão ofertados.

Projeto de vida

Outra novidade que  também vai se integrar ao novo ensino médio é o projeto de vida.

Segundo a Base Nacional Comum Curricular, documento que estipula o conteúdo e as habilidades que devem ser desenvolvidas pelas escolas, o projeto de vida está previsto como um meio de o estudante exercer sua cidadania e tomar suas decisões com “liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade”.

Para isso, serão levado em consideração três pilares

  • Pessoal: Aprender a lidar com os próprios sentimentos, respeitar seus limites, descobrir sua identidade, detectar suas principais habilidades e dificuldades, traçar seus desejos;
  • Social: Refletir sobre as relações interpessoais com amigos, familiares, pensar em formas de ajudar a comunidade ao seu redor, e entender a realidade que o cerca.
  • Profissional: Escolher por qual itinerário formativo vai optar ao longo do ensino médio, decidir se quer fazer faculdade ou curso técnico, pensar em uma carreira para o futuro.

O projeto de vida não possui uma carga horária mínima e também ficará a critério das redes de ensino a implementação apenas no 1º ano do Ensino Médio ou no decorrer dos três anos.

Novo Ensino Médio em Alagoas

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, responsável pela maioria das instituições públicas de Ensino Médio do estado, em Alagoas, os itinerários formativos serão incluídos de forma gradativa no ano letivo, em conjunto com a formação geral básica já existente nas escolas. Assim, mantendo a mesma carga horária e as disciplinas de formação básica, serão inseridas as disciplinas eletivas mais o Projeto de Vida.

Em 2022, o sistema abrangerá, primeiramente, as turmas do 1º ano do Ensino Médio, com previsão de que até o ano de 2023 as três séries sejam contempladas com o novo sistema de ensino.

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Capa da matéria sobre Mulheres concluintes dos cursos de graduação. Imagem com fundo transparente em tom lilás e duas mulheres negras sorrindo com chapéus de formandas.

Mulheres são mais de 60% dos concluintes dos cursos de graduação no Brasil

População feminina que possui ensino superior completo aumentou de 14% para 21,3% nos últimos 10 anos; proporção reduziu em cursos de tecnologia e exatas
Ilustração com fundo laranja e o mapa de alagoas ao fundo e uma colagens de cadeiras de escola com um ventilador de teto em cima.

Emergência climática: a cada 10 escolas públicas em AL, 6 não têm climatização

Belém, São Brás e Taquarana são as cidades que menos possuem climatização em sala de aula
Imagem de uma criança pequena brincando, em preto e branco. Ao fundo um arcos iris em tons pasteis. Capa da matéria sobre crianças que não frequentam creches no nordeste.

Quase 800 mil crianças no Nordeste não frequentam creche por dificuldade de acesso

Número representa 25% do total de crianças na faixa de 0 a 3 anos de idade, na região
Imagem produzida por Edson Borges com suporte de ferramenta de inteligência artificial

Nordestinos, negros e mulheres são maioria entre jovens que não estudam nem trabalham no Brasil

Especialistas destacam vulnerabilidade e falta de oportunidade para jovens dentro deste perfil