Pajuçara é o bairro de Maceió com maior incidência da Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Já com relação ao número de mortes, o bairro tem a segunda maior taxa da cidade por mil habitantes.

Por João Alvim

Por ser a maior cidade do estado, com uma população estimada em pouco mais de 1.018.948 milhão de habitantes, Maceió conta com a maior quantidade de casos absolutos do novo coronavírus em Alagoas. No entanto, quando se compara a quantidade de casos por habitantes, a capital fica em 16º lugar em contaminação da doença no estado. 

 


Assine agora a
newsletter gratuita


 

Da mesma forma acontece com nos bairros da Capital. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas analisados pela Agência Tatu, levando em consideração a incidência de casos confirmados de Covid-19 por mil habitantes, o bairro da Pajuçara é o que apresenta a maior quantidade de casos.

As informações coletadas mostram que o bairro apresenta uma taxa de incidência de quase 73 pessoas contaminadas a cada mil habitantes. O Centro aparece em segundo na lista, com taxa superior a 53. Os bairros da Ponta Verde (52), Mangabeiras (51) Canaã (49) também apresentam altas taxas de casos confirmados por mil habitantes.

Já em relação à quantidade de mortes na capital alagoana, o Centro de Maceió apresenta a maior taxa por habitante, com 8 mortes registradas, o que representa quase 3 por mil habitantes. Na Pajuçara, bairro que tem o segundo maior número, foram 7 mortes, com uma taxa de quase 2 óbitos por mil habitantes. Em Fernão Velho a taxa é de 1,7; enquanto na Ponta Grossa é de 1,4 e Gruta de Lourdes 1,3 por mil habitante.

METODOLOGIA

Nesta matéria foram utilizados os dados populacionais do último censo (2010) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto os de casos confirmados e óbitos na capital alagoana foram coletados do  Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) dessa terça-feira (28).

As análises foram feitas levando em consideração a taxa de casos confirmados e óbitos por mil habitantes, o que facilita a visualização dos dados e ainda permite saber em quais bairros a incidência da doença é maior.

Assine a nossa newsletter

Recomendadas pra você