Pajuçara é o bairro de Maceió com maior incidência da Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Já com relação ao número de mortes, o bairro tem a segunda maior taxa da cidade por mil habitantes.

Por João Alvim*

Por ser a maior cidade do estado, com uma população estimada em pouco mais de 1.018.948 milhão de habitantes, Maceió conta com a maior quantidade de casos absolutos do novo coronavírus em Alagoas. No entanto, quando se compara a quantidade de casos por habitantes, a capital fica em 16º lugar em contaminação da doença no estado. 

Da mesma forma acontece com nos bairros da Capital. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas analisados pela Agência Tatu, levando em consideração a incidência de casos confirmados de Covid-19 por mil habitantes, o bairro da Pajuçara é o que apresenta a maior quantidade de casos.

As informações coletadas mostram que o bairro apresenta uma taxa de incidência de quase 73 pessoas contaminadas a cada mil habitantes. O Centro aparece em segundo na lista, com taxa superior a 53. Os bairros da Ponta Verde (52), Mangabeiras (51) Canaã (49) também apresentam altas taxas de casos confirmados por mil habitantes.

Já em relação à quantidade de mortes na capital alagoana, o Centro de Maceió apresenta a maior taxa por habitante, com 8 mortes registradas, o que representa quase 3 por mil habitantes. Na Pajuçara, bairro que tem o segundo maior número, foram 7 mortes, com uma taxa de quase 2 óbitos por mil habitantes. Em Fernão Velho a taxa é de 1,7; enquanto na Ponta Grossa é de 1,4 e Gruta de Lourdes 1,3 por mil habitante.

METODOLOGIA

Nesta matéria foram utilizados os dados populacionais do último censo (2010) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto os de casos confirmados e óbitos na capital alagoana foram coletados do  Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) dessa terça-feira (28).

As análises foram feitas levando em consideração a taxa de casos confirmados e óbitos por mil habitantes, o que facilita a visualização dos dados e ainda permite saber em quais bairros a incidência da doença é maior.

*Estagiário sob a supervisão da Editoria

Assine a nossa newsletter

Recomendadas pra você

Receba conteúdo gratuito da Tatu diretamente no seu WhatsApp.