Eleitores do Nordeste estão mais alfabetizados em 2022

Bahia teve a maior redução de eleitores com baixa escolaridade entre os estados da região

20/07/22, 13h07 (atualizada em 28/07/22, 11h07)

Compartilhe:

Reportagem Lucas Thaynan

Edição Graziela França

Coleta de dados Lucas Thaynan

Desde as últimas eleições gerais, ocorridas em 2018, o perfil do eleitor nordestino mudou, sobretudo em relação à escolaridade. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), analisados pela Agência Tatu, há quatro anos 48% dos seus eleitores do Nordeste tinham escolaridade baixa, ou seja, aqueles que não completaram o ensino fundamental. Neste ano, este grupo representa 42,8% dos eleitores, queda de 5,2%.

Os dados do TSE mostram ainda que os eleitores com escolaridade a partir do ensino fundamental completo subiu de 51,9%, em 2018, para 57,2%, em 2022. Alta de 5,3% nos últimos quatro anos.

Bahia tem a maior queda

Entre os estados do Nordeste, a Bahia se destaca por ter registrado a maior redução de eleitores com baixa escolaridade. Do total do eleitorado, 49,8% não tinham concluído o ensino fundamental em 2018, já neste ano são 42,7% nesta condição, o que representa diminuição de 7,1%.

O estado que menos reduziu a quantidade de eleitores com escolaridade baixa foi o Rio Grande do Norte, que registrou queda de 2,9% nos últimos quatro anos.

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta.

1. Perfil do Eleitorado (TSE)

Somos uma startup de jornalismo de dados de Alagoas  com foco em produção de conteúdo e produtos inovadores para a realidade local e regional.

Assine a nossa newsletter

© 2017 - 2021 Agência Tatu de Jornalismo de Dados.

Todos os direitos reservados.

Política de Privacidade