Governador da Bahia não defendeu regulamentação do tráfico de drogas

Fala de Rui Costa foi retirada de contexto para dar a ideia de que político enxerga o tráfico como geração de emprego

capa fake ruicosta trafico - Governador da Bahia não defendeu regulamentação do tráfico de drogas
Compartilhe

É falsa a informação de que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), tenha defendido a regulamentação do tráfico de drogas com a justificativa de geração de emprego. Uma fala foi descontextualizada e voltou a circular este mês com o objetivo de produzir desinformação. O político, na verdade, explicou em entrevista como o tráfico afeta a segurança pública e  defende a criação de um marco legal para combater o problema.

O que estão dizendo?

Em uma postagem no Twitter com mais de 30 mil visualizações, o recorte de vídeo é acompanhado pela descrição: “Governo da Bahia fala que drogas empregam muitos jovens e temos que rever as leis” (sic). O vídeo está retirado de seu contexto original e a descrição é falsa.

O trecho da desinformação traz o seguinte recorte: “As drogas hoje têm uma capilaridade enorme, gigantesca no Brasil inteiro, emprega muita gente, emprega muitos jovens, muita gente, não necessariamente consumidores de drogas. Então, você tem os entregadores, pessoas que são jovens, contratada, que compram ou recebem uma moto para entregar drogas fazer um verdadeiro delivery, transformam no Brasil inteiro milhares de jovens empregados e infelizmente, os grupos quando  vão se organizando, se reorganizando, eles passam por uma disputa de locais e pontos de venda”.

O vídeo compartilhado em setembro deste ano se trata da republicação de uma postagem de maio de 2022, feita por um deputado pró-Bolsonaro do Rio de Janeiro que, ao divulgar o conteúdo, afirmou: “Governador da Bahia fala sobre drogas. Veja como o PT enxerga o tráfico de drogas, como uma atividade que emprega muitos jovens e que merece um novo marco legal (legalização e regulamentação). O PT não é um partido, é uma facção”. A postagem conta com mais de 11 mil visualizações.

Oxe, é Fake

Diferentemente do que afirmam as postagens pró-bolsonaro, o governador não defende que o tráfico emprega os jovens. O trecho faz parte de entrevista feita à Rádio Metrópole em 14 de abril de 2022, quando o governador baiano foi questionado pelo radialista Mário Kertész sobre como via a questão da segurança pública. Na resposta, Rui Costa (PT) falou sobre a relação do tráfico de drogas com a violência no país e defendeu a criação de um novo marco legal para lidar com esse tema.

O político discorre sobre como o tráfico se articula e acaba envolvendo jovens. Em seguida, aponta que o tema deve ser encarado como um problema grave pelo país, de forma articulada com os estados brasileiros.

Confira a fala completa de Rui Costa (PT):

“Mas no caso do Brasil, dos países da América Latina, 70 a 75% da violência direta, principalmente de homicídios, ela tá relacionada com o tráfico, comércio e o consumo das drogas. Isso é um padrão dos países americanos da América do Sul, da América Central. E, na Bahia, não é diferente disso. O que falta no Brasil, na minha opinião, é um novo marco legal, um debate jurídico e público na sociedade de como lidar com essa questão das drogas. As drogas hoje tem uma capilaridade enorme, gigantesca no Brasil inteiro, emprega muita gente, emprega muitos jovens, muita gente, não necessariamente consumidores de drogas. Então, você tem os entregadores, pessoas que são jovens contratados que compram ou recebem uma moto para entregar drogas, fazer um verdadeiro delivery. Então são no Brasil inteiro milhares de jovens empregados e, infelizmente, os grupos quando vão se organizando e se reorganizando, eles partem por uma disputa de locais,de pontos de vendas e há uma violência muito grande entre eles. Ou mesmo quando algum tem mercadorias de drogas apreendidas, eles têm que repor o dinheiro e muitas vezes essa reposição, a depender do volume das drogas, citar roubos simples de celular, roubo de relógio, roubo de dinheiro porque se ele não devolver o dinheiro da droga que ele perdeu, ele vai ser morto, ou muitas vezes roubo grande, quando há uma grande apreensão e consequentemente, no Brasil inteiro isso tá comprovado estatisticamente, e trabalhos policiais, dias depois de uma grande apreensão, sempre há um furto de caminhão forte, um banco explodido ou um grande assalto que é justamente para repor aquele dinheiro porque se não quem ta envolvido no tráfico, paga com a própria vida. Então, acho que chegou a hora do país encarar isso como um problema grave, como um problema nacional e montar um sistema de segurança articulado nacionalmente com os estados brasileiros, mudar o marco legal da legislação.”

Nordeste Sem Fake

O conteúdo falso foi encontrado pela robô Dandara, que monitora diariamente diversas redes sociais em busca de publicações com conteúdos potencialmente relacionados à desinformação. O trabalho tem a participação dos checadores do projeto Nordeste Sem Fake, da Agência Tatu. Mais checagens de fatos estão disponíveis no site.

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Lula não "prendeu" águas do Cinturão das Águas

É falso que governo Lula tenha interrompido abastecimento do Cinturão das Águas do Ceará

Trecho seco do Cinturão das Águas, mostrado em vídeo compartilhado em redes sociais, nunca recebeu água, pois ainda não foi inaugurado pelo Governo do Ceará
Fake pessoas em situação de rua em Florianópolis

Pessoas em situação de rua foram enviadas da Bahia a Florianópolis? É falso!

Inquérito da Polícia Civil aponta irregularidade de transporte clandestino, mas descarta situação de rua de passageiros
Oxe, é Fake! Bolsonaro não acabou com a seca no Nordeste

Ao contrário do que diz vídeo, Bolsonaro não acabou com a seca no Nordeste

Blogueiro utiliza fala descontextualizada de Lula (PT) para afirmar que Bolsonaro (PL) acabou com a seca na região
oxe e fake - Falas distorcidas de Lula são utilizadas para atacar religiões de matrizes africanas

Falas distorcidas de Lula são utilizadas para atacar religiões de matrizes africanas

Vídeo utiliza trechos manipulados de discurso realizado em agosto de 2021 e volta a circular às vésperas da eleição presidencial