Aeroporto de Maceió bateu recordes de passageiros nos últimos meses de 2021

Análise leva em consideração volume de passageiros entre os anos de 2015 e 2021

aeroporto zumbi dos palmares - Aeroporto de Maceió bateu recordes de passageiros nos últimos meses de 2021
Compartilhe

A pandemia da Covid-19 afetou diversos setores, incluindo o de turismo. As diferentes fases de distanciamento social geraram cancelamentos e adiamentos de viagens, o que impactou no número de passageiros que chegaram ao Aeroporto Zumbi dos Palmares nos momentos mais críticos da pandemia.

Enquanto no primeiro ano da pandemia o estado registrou o pior fluxo de passageiros de toda a série histórica (2015 a 2021), em 2021 o quadro mudou para melhor, alcançando números recordes de passageiros, especialmente no final do ano, quando milhares de pessoas vieram a Maceió para festejar o réveillon.

De acordo com dados da Aena Brasil, coletados pela Agência Tatu  junto à Secretaria de  Desenvolvimento Econômico e Turismo de Maceió (Sedetur), o número de embarques e desembarques no ano passado foi de 1.910.420 pessoas. Apesar do somatório do ano inteiro fazer com que 2021 seja o segundo pior ano da série, entre setembro e dezembro o fluxo de passageiros naquele ano foi o maior desde 2015.



Já 2020 foi um ano em que a redução no número de passageiros foi notória. A quantidade de passageiros começou a cair após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no país, com uma queda de 36% na comparação com o ano anterior. Mas os piores meses foram abril e maio, que tiveram pouco mais de sete mil passageiros em cada mês, uma redução de mais de 95% na comparação com o mesmo período de 2020.



Para a secretária de Turismo de Maceió, Patrícia Mourão, desde o início da gestão houve a preocupação em preparar o destino para o novo momento do turismo, que seria o pós isolamento social.

"Somente no ano passado, a Prefeitura investiu R$ 200 milhões em ações estruturantes e promocionais, que elevaram o destino como um dos mais procurados do Brasil. Essa retomada do turismo de Maceió é refletida no aumento do fluxo de passageiros e nas ocupações sempre positivas da hotelaria da capital, conquistadas graças ao trabalho sinérgico do setor público em parceria com o privado. Além disso, a gestão municipal fez o dever de casa no quesito segurança sanitária, sendo uma das capitais com maior eficiência na vacinação e controle da pandemia”, detalhou a secretária.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Marcius Beltrão, explicou os possíveis motivos. “Não se trata de um fenômeno isolado ou local; mas sim, como todos sabemos, da dinâmica mundial e dos cenários desenhados ao longo da pandemia da Covid-19. Os números e as experiências que vivenciamos mostram isso, as oscilações no número de viagens, a redução do trânsito de pessoas pelo mundo e, claro, em Alagoas”, destaca.

Beltrão ainda detalha as medidas que foram adotadas para lidar com o baixo fluxo.  “Mesmo ao longo de toda a pandemia, o governo de Alagoas, através da Sedetur, manteve todos os investimentos e ações promocionais por acreditar que a demanda reprimida (pessoas que querem viajar) precisam lembrar do Destino Alagoas quando optarem por um destino".

Segundo ele, a medida ajudou na aceleração da recuperação econômica e no fluxo de passageiros no aeroporto internacional. “Acreditamos que nos próximos meses vamos recuperar a média de público viajante que recebíamos antes da pandemia”, finaliza.

*Estagiária sob supervisão da editoria

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Braskem muda paisagem de bairro em Maceió

Veja como Braskem alterou paisagem em bairro de Maceió desde 2018

Uma das minas da empresa entrou em colapso nesse domingo (10), em decorrência da extração de sal-gema realizada pela mineradora; Braskem afirma ser a atual proprietária do que um dia foram espaços públicos
chuva de granizo no nordeste

Chuva de granizo já surpreendeu 90 municípios do Nordeste em 5 anos

Somente nos últimos 15 dias de 2023, 17 cidades da região vivenciaram o fenômeno
mina subterrânea da Braskem ameaça afundar em Maceió após novos tremores

Caso Braskem: mina subterrânea ameaça afundar em Maceió após novos tremores

Mineradora é responsável pelo crime ambiental registrado na cidade
refeição fora de casa

Trabalhador do Nordeste compromete 72% de salário mínimo com refeição fora de casa

Nordeste tem a segunda refeição fora de casa mais cara do país