Caso Braskem: mina subterrânea ameaça afundar em Maceió após novos tremores

Mineradora é responsável pelo crime ambiental registrado na cidade

Foto: Itawi Albuquerque/Secom Maceió
mina subterrânea da Braskem ameaça afundar em Maceió após novos tremores
Compartilhe

Com o registro recente de novos tremores de terra, Maceió tem, neste momento, alto risco de um colapso de solo às margens da Lagoa Mundaú, no bairro do Mutange.  A Defesa Civil alertou a população nessa quarta-feira (29) sobre o risco do surgimento de uma imensa cratera no local da 18ª mina de sal-gema da Braskem. 

A situação acontece em decorrência do afundamento de solo que atinge cinco bairros da capital (Bebedouro, Bom Parto, Farol, Mutange e Pinheiro), por conta da extração de sal-gema pela mineradora Braskem. 

Vários moradores relataram ter recebido o alerta por SMS. A Defesa Civil de Maceió divulgou nos canais oficiais o “risco iminente de colapso em uma das minas monitoradas”. O Município recomendou que embarcações e a população evitem transitar na região. 

A Defesa Civil de Maceió divulgou, ainda, a atualização do mapa de risco do afundamento dos bairros. Com o documento, a Justiça Federal determinou a inclusão de área do Bom Parto no programa de realocação da Braskem. Segundo estimativas da Prefeitura, 1736 lotes deverão ser realocados, além de 1289 para monitoramento na nova área.

A Prefeitura de Maceió estabeleceu um Gabinete de Crise para monitorar a situação e tomar providências diante do risco e decretou situação de emergência por 180 dias em Maceió.

Entenda o caso

  • Em 03 de março de 2018, a capital alagoana registrou um tremor de terra no bairro do Pinheiro, o primeiro em 60 anos;
  • Após o fenômeno, surgiram rachaduras em imóveis e crateras nas vias do bairro;
  • A situação se expandiu também nos bairros do Bebedouro, Mutange, Bom Parto e parte do Farol;
  • Em maio de 2019, CPRM divulgou o relatório de estudos com a conclusão de que o problema é causado pela extração de sal-gema, realizada pela mineradora Braskem; 
  • O desastre ambiental provocado pela mineradora atinge mais de 50 mil moradores, que deixaram suas casas. O caso é considerado o maior do Brasil;
  • Ao todo, são 35 minas de extração de sal-gema que estavam, segundo a Braskem, sendo fechadas e estabilizadas em um trabalho intensivo desde 2019.
  • Em dezembro de 2020, foi assinado um acordo socioambiental entre Braskem, Ministério Público Federal e Ministério Público do Estado de Alagoas que definiu as medidas a serem adotadas pela mineradora;
  • Após uma sequência de novos tremores registrados na região, na quarta-feira (30) a Defesa Civil de Maceió informou que o monitoramento mostrou um aumento significativo na movimentação do solo na mina nº 18, indicando a possibilidade de rompimento e surgimento de uma grande cratera;
  • Justiça Federal determina a retirada compulsória de 23 famílias que ainda estavam na área definida para realocação no mapa anterior. Prefeitura  diz também que atua para a retirada voluntária de moradores da região ribeirinha próxima à mina que apresenta risco de colapso;
  • Nesta quinta-feira (30), Defesa Civil atualiza o mapa que define as áreas para realocação e monitoramento;
  • Justiça Federal determina, também na quinta-feira (30), a inclusão de área do Bom Parto no programa de realocação da Braskem;
  • Atualizações são publicadas ao longo do dia pelo Município e a previsão mais recente é que o afundamento aconteça por volta das 6h desta sexta-feira (1º).

Confira ainda o novo Mapa de risco da área afetada pelo afundamento causado pela Braskem e as minas da empresa que estavam em operação.

mapa atualizado pela Defesa Civil

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

chuva de granizo no nordeste

Chuva de granizo já surpreendeu 90 municípios do Nordeste em 5 anos

Somente nos últimos 15 dias de 2023, 17 cidades da região vivenciaram o fenômeno
Braskem muda paisagem de bairro em Maceió

Veja como Braskem alterou paisagem em bairro de Maceió desde 2018

Uma das minas da empresa entrou em colapso nesse domingo (10), em decorrência da extração de sal-gema realizada pela mineradora; Braskem afirma ser a atual proprietária do que um dia foram espaços públicos
refeição fora de casa

Trabalhador do Nordeste compromete 72% de salário mínimo com refeição fora de casa

Nordeste tem a segunda refeição fora de casa mais cara do país
trânsito

A cada 10 nordestinos, 3 gastam mais de 1h no trânsito diariamente

Dados são de Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI)