De brega-funk ao pagode: as músicas mais ouvidas no YouTube em AL na quarentena

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Por Géssika Costa

É fato que ouvir música ajuda a acalmar a alma, relaxar a mente e a entreter, principalmente, nas horas vagas. E neste momento de pandemia da Covid-19, esse tipo de arte tem desempenhado um papel importante para enfrentar o isolamento social com menos exaustão e mudanças de humor, comuns em situações difíceis como a que estamos vivendo.

E em Alagoas, pelo menos nos últimos três meses, os ritmos musicais brega-funk,  pagode e sofrência têm dominado as playlists do YouTube neste período, de acordo com dados da plataforma de vídeos levantados pela Agência Tatu

 


Assine agora a
newsletter gratuita


 

No topo da lista das mais ouvidas está o brega-funk “Tudo no Sigilo”, de MC Vytinho e MC Bianca, com 3,27 milhões de visualizações nos últimos 90 dias no estado. A número dois da lista é “Bate com Vontade”, do trio Tarik Lima, MC Drick e Dadá Boladão com 2,61 milhões de views no período, representando 56% do número geral de 4,59 milhões de visualizações. 

Integram o ranking das mais ouvidas nesta quarentena “Xereca de mel”, de MC Mari (1,84 milhão de views), “Braba”, de Luísa Sonza (1,82 milhão) e “Não tô ligando”, dos MCs Balakinha e Danny (1,66 milhão).

Veja abaixo as dez mais ouvidas em Alagoas:

As 10 músicas mais ouvidas

1ª – Tudo no Sigilo

MC Vytinho e MC Bianca

0 M
visualizações

2ª – Bate Com Vontade

Tarik Lima, MC Drick e Dadá Boladão

0 M
visualizações

3ª – Braba

Luísa Sonza
0 M
visualizações

4ª – Xereca de Mel

Mc Mari

0 M
visualizações

5ª – Vida de Bailão

MC Troia

0 M
visualizações

6ª – Não Tô Ligando

MC Balakinha

0 M
visualizações

7ª – Pepekinha Malvada

Mc Anônimo

0 M
visualizações
8ª – Melhor eu ir/Ligando os Fatos/Sonho de Amor/Deixa eu te querer

Grupo Menos É Mais

0 M
visualizações

9ª – Recairei

Unha Pintada

0 M
visualizações

10ª – Te Prometo

DJ Dennis

0 M
visualizações

DADOS ABERTOS – Prezamos pela transparência, por isso sempre divulgamos a origem dos dados utilizados para a produção de nossas matérias. Veja.

Assine a nossa newsletter

Recomendadas pra você

Assine a nossa newsletter

Conteúdo gratuito e exclusivo no seu e-mail toda semana, às terças-feira.