Número de profissionais do Mais Médicos cresce quase 200% no Nordeste nos últimos 10 anos

Dados comparam dados de 2013 a 2022 e considera os programas Mais Médicos e Médicos pelo Brasil

Ilustração com pessoa vestida de jaleco ao lado de um mapa do brasil com o símbolo do Mais Médicos ao centro.
Compartilhe

Criado com o objetivo de suprir a carência de médicos em municípios do interior e regiões periféricas do país, o programa Mais Médicos apresentou um aumento de 198% do total de médicos registrados por programas do Governo Federal, de 2013 para 2022.

Os dados analisados pela Agência Tatu foram obtidos através da Lei de Acesso à Informação (LAI) pela Fiquem Sabendo, agência de dados especializada no acesso a informações públicas.

Sobre o programa

  • O Mais Médicos foi criado em 8 de julho de 2013 pelo governo Dilma Rousseff (PT) para preencher a demanda da população mais vulnerável usuária do Sistema Único de Saúde (SUS), recebendo inclusive profissionais de outros países, principalmente de Cuba, já que a principal escolha dos médicos brasileiros estava sendo para capitais e regiões metropolitanas.
  • Em 2019, o programa foi interrompido pelo Governo Bolsonaro (PL), que o substituiu pelo programa “Médicos pelo Brasil”, que só foi efetivamente implementado em dezembro de 2021.
  • O Mais Médicos foi retomado pelo governo Lula (PT) em 2023 e em abril deste ano foi aberto um novo edital para preenchimento de 6.252 vagas.

Entre 2013 e 2018 houve um crescimento anual consecutivo no número de médicos do programa, ocorrendo uma queda em 2019, quando o programa mudou de nome durante o Governo Bolsonaro. Somente em 2022 é possível notar um aumento significativo do número de profissionais no programa Médicos pelo Brasil. O fenômeno é observado tanto na região Nordeste quanto nas demais regiões do Brasil.

Número de médicos no Nordeste pelos programas do Governo Federal

Dados dos programas Mais Médicos e Médicos pelo Brasil de 2013 a 2022

No Nordeste, o perfil de vulnerabilidade que mais se destaca entre os municípios que tiveram demanda para receber profissionais pelo Mais Médicos são os localizados em regiões de clima semiárido (58,2%) e os que possuem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo ou muito baixo (25,5%).

Perfil por vulnerabilidade nos locais de demanda do Mais Médicos

Em nota, o Ministério da Saúde explicou que a retomada do Mais Médicos no Governo Lula foi anunciada com estratégias de incentivo aos profissionais, como auxílio no pagamento da dívida do Fies; oportunidades de especialização e mestrado; adicional aos médicos lotados nas regiões de alta vulnerabilidade e difícil acesso, além de pagamento complementar do valor do INSS para alcançar o valor da bolsa às mulheres em licença maternidade.

“Com as novas estratégias, o edital alcançou a adesão de 99% dos municípios contemplados no último edital. O chamamento ofertava 6.252 vagas, incluindo 1000 postos inéditos para a Amazônia Legal. Do total, 6.169 foram indicadas pelos municípios para o preenchimento. A próxima fase é a publicação de um edital de inscrição para os médicos”, detalhou o MS.

Dos 13.534 médicos que estão em atividade pelos programas, com relação ao Mais Médicos, 5.159 vagas são profissionais com CRM e 2.730 médicos intercambistas. Já pelo Médicos pelo Brasil, são 5.645 postos ocupados, sendo 5.147 bolsistas e 498 tutores.

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Colagem em preto e branco de pessoas com baldes e bacias em menção aos domicílios brasileiros sem água encanada

67% dos domicílios brasileiros sem água encanada estão na região Nordeste

Em todo o país, mais de 4,8 milhões de pessoas residem em domicílios sem água canalizada
Capa da matéria "Apenas 13 a cada 100 habitantes do Nordeste têm plano de saúde" publicada originalmente na Agência Tatu.

Apenas 13 a cada 100 habitantes do Nordeste têm plano de saúde

Maranhão é o estado com menor quantitativo proporcional da região
Capa da matéria "Nordeste já registrou mais de 15 mil casos de dengue em 2024" publicada originalmente na Agência Tatu.

Nordeste já registrou mais de 15 mil casos de dengue em 2024

Sudeste concentra maior porcentagem dos registros no Brasil; especialistas reforçam que é fundamental manter os cuidados e prevenção
hanseníase no nordeste

Nordeste é a região que menos reduziu casos de hanseníase no Brasil

Dados do Ministério da Saúde mostram redução de 33,1% de casos de hanseníase entre 2013 e 2022