Nordeste ultrapassa R$198 milhões em multas de trânsito em 2022

Dados do DNIT se referem às multas cometidas em estradas federais

Capa da matéria "Nordeste é a região com mais infrações de trânsito em 2022" publicada originalmente na Agência Tatu. Ilustraçõa com dois sensores de velocidade posicionados nas laterais e uma placa de 60km/h no meio.
Compartilhe

Em 2022, houve um grande número de multas de trânsito aplicadas em infrações registradas em estradas federais de todo o país, mas o Nordeste é a região com mais registros: 1.163.842 multas, o que resultou em mais de R$198 milhões, de acordo com dados do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), divulgados pela Fiquem Sabendo e analisados pela Agência Tatu.

A Bahia foi o estado que registrou a maior quantidade de autuações com multas na região, totalizando 298.329. Em seguida, veio o Rio Grande do Norte, com 143.418 registros, e o Maranhão, com 130.856.

Instrumentos utilizados para a redução de acidentes, os equipamentos que registram as infrações estão presentes onde as estatísticas de acidentes indicam muitos incidentes, como informa o DNIT.

Quantitativo de multas nos estados do Nordeste em 2022

Estradas com mais infrações

O Piauí aparece em sexto lugar no ranking do Nordeste, com um total de 99.595 multas registradas em 2022. No entanto, o estado teve as estradas com as maiores quantidades de multas aplicadas da região: “BR343 KM 2.160” e “BR343 KM 3.800”, ambas na capital Teresina e na mesma rodovia federal.

No Nordeste, também aparecem entre as 10 maiores quantidades de multas a “BR116 KM 1.925”, em Fortaleza (CE), e a  “BR104 KM 94.320”, em Rio Largo (AL).

Infrações de trânsito por estado

Multas por região do Brasil

Depois do Nordeste, que registrou 1.163.842 multas em 2022, o Sul foi a segunda região que mais teve multas aplicadas, totalizando 723.687 registros. Em seguida, aparece o Sudeste (426.838 multas), o Centro-Oeste (285.713) e, por fim, o Norte (247.581).

De acordo com Fabrício Galvão, diretor-executivo do DNIT, as multas incidem em cima das rodovias que possuem radar e fiscalização exclusivamente federal. “O Norte do país tem poucas estradas pavimentadas, e sem pavimento não tem radar. Já no Sul, Sudeste e Centro-Oeste têm muita malha concedida, então quando a gente concede a malha para a iniciativa privada o controle quem faz é a concessionária. O que ‘sobra’ para o DNIT é a nossa malha própria, que tem sua maioria no Nordeste, onde tem mais radares espalhados. O radar  se apresenta como solução muito eficaz pra redução de acidentes e redução da gravidade, evitando mortes nas rodovias federais”, explicou o diretor.

 

 

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Capa da matéria "Maus-tratos contra crianças de até quatro anos aumentam em 47% no Nordeste'', publicada originalmente na Agência Tatu. Imagem ilustrativa de um urso de pelúcia chorando, ao fundo, elementos visuais de gráficos de linha.

Maus-tratos contra crianças de até quatro anos aumentam em 47% no Nordeste

Sergipe apresentou a maior taxa por habitantes, enquanto a Paraíba apresentou a menor
Capa da matéria sobre violência em ambiente escolar.

Combate à violência em ambiente escolar ganha força com nova lei

Legislação surgiu como forma de conter ataques em escolas; 2023 foi o ano com maior quantidade de casos nos últimos 22 anos
Capa da matéria "Chuvas no Nordeste deixam mais de 27 mil pessoas desalojadas " publicada originalmente na Agência Tatu

Chuvas no Nordeste deixam mais de 27 mil pessoas desalojadas 

Diversos municípios já tiveram estado de emergência declarado
Ilustração com fundo lilás, o nome "agosto" transparente e a imagem de três mulheres fazendo sinal de "pare". Capa da matéria sobre aumento de casos de violência contra a mulher no nordeste.

Violência contra a mulher aumenta 22% no Nordeste no primeiro semestre de 2023

Agência Tatu analisou dados obtidos via LAI e comparou com o mesmo período de 2022