Ocorrências de falta de energia em AL aumentaram seis vezes em 12 anos

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Houve, ainda, aumento no tempo de atendimento e execução dos serviços

Apagão registrado em 2018 em Maceió (Foto: Edilson Omena/Tribuna Hoje)

Por Lucas Thaynan

Alagoas registrou no ano passado 193.849 ocorrências emergenciais com Interrupção de Energia Elétrica, de acordo com dados do setor de Qualidade da Distribuição da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), analisados pela Agência Tatu. Esse número é seis vezes maior que o registrado em 2009, início da série histórica disponibilizada pela Aneel. Naquele ano, foram registradas apenas 32.297.

Ao longo dos anos, número de interrupções de energia aumentou (Ilustração: Lucas Thaynan)

Os dados também revelam que desde que a Equatorial Energia Alagoas assumiu a operação da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e a distribuição de energia no estado, houve um aumento no tempo médio de deslocamento, ou seja, o tempo para o atendimento para cada ocorrência, que é registrado em minutos. 

Ilustração: Lucas Thaynan/Agência Tatu

Em 2018, quando a Equatorial ainda não era a distribuidora local, o tempo era de 30 minutos e 15 segundos. Em 2019, quando a operação passou a ser feita pela empresa, o tempo passou para 32 minutos. Já em 2020, os alagoanos passaram a esperar mais nove minutos e oito segundos para serem atendidos pelas equipes.

Ao longo da série histórica de 12 anos, o tempo médio de execução do serviço até seu restabelecimento pela equipe de atendimento, também em minutos, saiu de 31 para 52 minutos, representando um aumento de mais de 67% no período de 2009 a 2020.

Somente nos três primeiros meses deste ano, Alagoas registrou 44.072 ocorrências de falta de energia elétrica. Para o primeiro trimestre, o tempo de deslocamento foi de 50 minutos e o tempo médio de execução de uma hora, um minuto e 44 segundos.

52 minutos foi o tempo médio de atendimento das equipes durante serviço de reparo

De acordo com o engenheiro elétrico Edson Martinho, presidente da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), as constantes quedas de energia podem ocasionar diversos danos aos eletrodomésticos, como TVs, som entre outros itens da casa.

Edson Martinho, presidente da Abracopel

“Se você tem uma voltagem em 220, por exemplo, ela acaba indo a 230 e 240 volts. Essa situação vai estressando os equipamentos que – ao longo tempo – e com a frequência das quedas podem vir a queimar esses componentes. Esse é o grande problema das quedas de energia, não as interrupções em si, mas sim quando a energia volta”, explica o profissional.

Ainda de acordo com Martinho, outros fatores também precisam ser considerados sobre o tema.

“Se você parar para pensar não só nos equipamentos de segurança, de maneira geral, você acaba levando uma falha e queimas de equipamentos que podem às vezes ser de sustentação à vida, segurança, dentre outros, argumenta.

Processo de privatização

A Agência Tatu entrou em contato com o Sindicato dos Urbanitários de Alagoas, entidade que representa a categoria dos trabalhadores do setor de energia no estado, para entender qual o posicionamento da organização quanto à qualidade do serviço em razão do processo de privatização que ocorreu ao longo dos últimos anos. Em nota, a organização disse que essa queda na qualidade do serviço era esperada.

O Sindicato já havia alertado à população que a privatização de setores como água e energia causam piora na qualidade dos serviços, aumento de tarifa e demissões. Em todos os locais onde houve a privatização desses serviços isso ocorreu. A precarização dos serviços é outro fator que nesse caso explica o aumento da falta de energia. Empresas privadas reduzem o quadro de funcionários, contratam pessoal sem qualificação, porque querem pagar menos e lucrar com isso. A Equatorial Alagoas demitiu seu bem mais precioso: centenas de profissionais altamente capacitados, que receberam treinamento ao longo dos anos, com investimento público e que conheciam o sistema na palma da mão. Então o cálculo é lógico.

Ainda para o Sindicato, a perspectiva é que a qualidade do serviço piore nos próximos meses.

É preciso pensar nesses setores estratégicos como água e energia de forma social. Todos precisam ter acesso a esses serviços independentemente do poder aquisitivo. Semanalmente, vemos reclamações de queda de energia em vários bairros da capital e municípios do interior, reclamação de aumento de tarifa e erros nas contas de energia. Isso não é melhorar o sistema. Com o passar do tempo, a tendência é piorar ainda mais, pois os equipamentos vão ficando velhos e desgastados e a manutenção é sempre retardada, visando economizar, então o pior ainda está por vir.

O outro lado

A reportagem da Agência Tatu entrou em contato com assessoria de comunicação da Equatorial Alagoas a fim de buscar um esclarecimento sobre o assunto. A Equatorial informou que iria analisar os dados para só então se manifestar, mas até a finalização da matéria não houve retorno.

Apenas na quinta-feira (20), a Distribuidora enviou a seguinte nota via assessoria de comunicação. No entanto, o conteúdo não rebateu os questionamentos sobre o TMD mostrados acima. Confira, na íntegra, abaixo:

A Equatorial Energia Alagoas esclarece que quando assumiu a concessão de energia no estado, em março de 2019, os índices de qualidade de fornecimento eram bastante precários. Na época, o indicador de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) que mostra o tempo médio em que os alagoanos ficavam sem luz era de 63,09 horas. Já o indicador da Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) que aponta quantas vezes, em média, houve falta de energia para a população era de 19,22.

Diante desse cenário, a Equatorial não mediu esforços para mudar essa realidade, pondo em prática no biênio 2019/2020 um plano robusto de investimentos de mais de R$ 370 milhões que foram direcionados para execução de obras, manutenção e renovação do sistema elétrico. A Distribuidora construiu novas subestações e fez a troca de componentes da rede elétrica do litoral ao sertão para levar energia de qualidade a todos os clientes.

A Equatorial esclarece ainda que o resultado das melhorias realizadas pode ser evidenciado pela redução expressiva dos indicadores DEC em que o apurado no mês de dezembro de 2020 foi de 19,24h, representando uma redução de 70% e o FEC caiu para 9,55, uma diminuição de 51% na quantidade de vezes em que houve falta de energia no estado. A evolução dos indicadores obtida em apenas um ano e nove meses de gestão foi uma das maiores já registradas no setor elétrico.

A Equatorial ressalta que também tem realizados investimentos em tecnologia para proporcionar comodidade e praticidade aos alagoanos nas solicitações de serviços e registros de ocorrências. A população tem à disposição atendimento por mensagem de texto via WhatsApp com a assistente virtual Clara, pelo site al.equatorialenergia.com.br e por meio do aplicativo Equatorial Energia, disponível gratuitamente para as plataformas Android e iOS. Conta ainda com a Central 0800 082 0196 que foi modernizada com uma URA (Unidade de Resposta Audível) inteligente e capaz de registrar as solicitações dos clientes com poucos comandos. A empresa oferece também atendimento presencial nos 102 municípios do estado, sem que o cliente tenha necessidade de se deslocar para outra cidade para ser atendido. Além disso, após a gestão da Equatorial, todos os registros realizados pela população passaram a ser atendidos e informados ao órgão regulador (Aneel).

Por fim, a Distribuidora reafirma o seu compromisso com o desenvolvimento do estado e que continuará empenhada, trabalhando diuturnamente para levar energia segura e de qualidade a todos os alagoanos.

DADOS ABERTOS | Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Série histórica fornecimento de energia Alagoas – 2009 – 2021

Assine a nossa newsletter

Recomendadas pra você

Receba conteúdo gratuito da Tatu diretamente no seu WhatsApp.