Se continuar no mesmo ritmo, vacinação em AL só terminará em março de 2022

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Pesquisadores da Ufal fizeram o cálculo levando em conta a quantidade de doses aplicadas na última semana epidemiológica

Reprodução: Carla Cleto/Sesau-AL

Por Maria Luíza Ávila*

Alagoas é um dos três estados que mais utilizam as doses recebidas das vacinas de combate à Covid-19, segundo a revista Veja, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte. Mesmo com o bom desempenho, o último boletim do Observatório da Covid-19, da Universidade Federal de Alagoas, atesta que se for mantido o ritmo de vacinação da última semana epidemiológica, a vacinação da população adulta do estado só será concluída em março de 2022. 

Os dados do boletim, publicados nesta segunda-feira (14) e analisados pela Agência Tatu, levam em consideração o número de doses aplicadas na 23ª semana epidemiológica de 2021, que encerrou no dia 13 de junho.

O gráfico da vacinação ao longo das últimas semanas epidemiológicas mostra que a imunização em Alagoas não tem seguido uma tendência clara de aumento ou de redução. A semana epidemiológica 14, entre os dias 04 e 10 de abril, registrou o maior número de doses aplicadas desde que o Observatório passou a analisar esses dados.

“Como cada pessoa deve receber duas doses, a vacinação da população adulta de Alagoas precisa de 4,4 milhões de doses. Subtraindo o que já foi aplicado, obtemos quantas doses ainda faltam. Por fim, foi dividido esse número pela quantidade de doses aplicada naquela semana”, explicou o coordenador do Observatório, Gabriel Bádue. 

De acordo com o IBGE, a população adulta alagoana é de aproximadamente 2,2 milhões de pessoas, o que corresponde a cerca de 67% da população do estado. Assim,  o cálculo parte da quantidade de doses necessárias para imunizar a população adulta, dividido pela quantidade de doses aplicadas durante essa última semana epidemiológica, que foi de 82.257 doses. 

Para o professor Bádue, o ritmo da vacinação está ligado à falta de insumos necessários. “A hipótese mais plausível para explicar o baixo ritmo da vacinação, em comparação à necessidade atual, está ligada à falta de vacinas”.

CENÁRIO POSITIVO

Utilizando como exemplo a 14ª semana epidemiológica, que teve a aplicação de 130 mil doses da vacina, se a mesma média no ritmo de vacinação fosse mantido para o restante do ano, a imunização da população adulta de Alagoas seria concluída em 25 semanas. Ou seja, em dezembro de 2021.

Vale ressaltar que a matéria apresenta uma previsão, que tem como base os dados coletados pelo Observatório da Ufal. A previsão pode mudar de acordo com a disponibilidade de vacinas e da rapidez com que as vacinas disponíveis são aplicadas.

VACINÔMETRO

Até o fim da semana epidemiológica 23, foram aplicadas 1,11 milhões de doses da vacina, sendo que 817 mil correspondem à primeira dose e 298 mil à segunda.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, até o dia 15 de junho, das 1.601.270 doses disponibilizadas para Alagoas, 835.716 pessoas tomaram a primeira dose, e 302.080 pessoas tomaram a segunda dose do imunizante. 

*Estagiária sob supervisão da Editoria


DADOS ABERTOS | Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Acompanhe a evolução de óbitos e casos da Covid-19 em Alagoas na nossa plataforma, atualizada em tempo real:

Assine a nossa newsletter

Recomendadas pra você

Receba conteúdo gratuito da Tatu diretamente no seu WhatsApp.