Entenda como funciona a CIN, a nova Carteira de Identidade Nacional

Veja como emitir, quais as novidades, CIN digital e estados que já possuem o novo documento

Capa da matéria sobre a nova carteira de identidade nacional. Fundo azul e primeiro plano com ilustração de mão segurando o documento.
Compartilhe

O Brasil deu início ao lançamento completo da nova Carteira de Identidade Nacional (CIN), um novo documento que padroniza a emissão e o modelo de identificação em todos os estados do país, com o objetivo de unificar os dados de identificação e promover maior segurança contra fraudes. Mesmo com a divulgação, há ainda muitas dúvidas sobre a CIN, sua emissão, validade e novos recursos.

A Agência Tatu reuniu as principais novidades da CIN e as diferenças entre esse e o antigo RG. Uma das principais mudanças é que o número do CPF agora será usado como número de registro nacional, o que significa que o cidadão terá o mesmo número de identificação, independentemente do estado onde a carteira for emitida.

Novidades da Carteira de Identidade Nacional

De acordo com a Polícia Científica de Alagoas, responsável pela emissão do novo documento no estado, a grande novidade trazida pela CIN está em seu QR Code, um código impresso no verso do documento que pode ser lido por qualquer smartphone, permitindo checar se o documento é autêntico e se existe registro de furto ou extravio. Além disso, no QR Code constará outras informações, como números da CNH, título de eleitor, carteira de reservista e passaporte.

Imagem mostrando elementos de segurança da nova carteira de identidade nacional

Pessoas com necessidades especiais também poderão identificar sua condição na Carteira de Identidade Nacional. Pessoas com autismo, cegueira, surdez e outras condições poderão solicitar a inserção do símbolo informativo no documento. Para isso, basta apresentar laudo médico no ato de solicitação da carteira.

Como tirar a nova Carteira de Identidade Nacional

A solicitação do documento de identificação continua sendo presencial. A nova Carteira de Identidade Nacional pode ser solicitada nos Institutos de Identificação dos Estados e do Distrito Federal, tendo como requisito a apresentação da certidão de nascimento ou casamento, RG ou CNH e CPF regular. A primeira via e as renovações são gratuitas, porém as segundas vias têm valores diferentes em cada estado.

Além disso, a nova CIN pode ser emitida em formato digital por meio do aplicativo GOV.BR, sem custos para o cidadão, mas somente após a emissão do documento físico. O processo é semelhante ao já existente para a CNH, em que o cidadão pode ter acesso tanto à carteira física quanto à digital.

Não é necessário substituir os documentos de identidade nos modelos antigos de imediato. Eles continuarão válidos até 28 de fevereiro de 2032.

Quais estados já emitem a CIN?

Até o momento, apenas 4 estados estão emitindo a nova Carteira de Identidade Nacional para todos os cidadãos: Acre, Alagoas, Mato Grosso e Santa Catarina.

Demais estados estão em processo de implementação, podendo emitir o documento em situações específicas ou somente em alguns municípios.

Assine grátis a newsletter da Tatu e fique por dentro de tudo!

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

Braskem muda paisagem de bairro em Maceió

Veja como Braskem alterou paisagem em bairro de Maceió desde 2018

Uma das minas da empresa entrou em colapso nesse domingo (10), em decorrência da extração de sal-gema realizada pela mineradora; Braskem afirma ser a atual proprietária do que um dia foram espaços públicos
chuva de granizo no nordeste

Chuva de granizo já surpreendeu 90 municípios do Nordeste em 5 anos

Somente nos últimos 15 dias de 2023, 17 cidades da região vivenciaram o fenômeno
refeição fora de casa

Trabalhador do Nordeste compromete 72% de salário mínimo com refeição fora de casa

Nordeste tem a segunda refeição fora de casa mais cara do país
mina subterrânea da Braskem ameaça afundar em Maceió após novos tremores

Caso Braskem: mina subterrânea ameaça afundar em Maceió após novos tremores

Mineradora é responsável pelo crime ambiental registrado na cidade