A cada 10 analfabetos no Nordeste, 8 são pretos ou pardos

Analfabetismo na região também atinge principalmente a homens com 60 anos ou mais; Piauí tem a maior taxa de analfabetismo dos nove estados

Capa da matéria "A cada 10 analfabetos no Nordeste, 8 são pretos ou pardos" publicada originalmente na Agência Tatu. Trata-se de uma imagem digital com uma mão segurando uma folha com o alfabeto e um mapa do Nordeste ao lado.
Compartilhe

Apesar da redução observada nos últimos anos, o analfabetismo ainda é um desafio e uma realidade alarmante nos estados do Nordeste, que ainda possui 5,2 milhões de pessoas analfabetas, com um predomínio entre homens, pretos ou pardos, com 60 anos ou mais. Na região, para cada 10 pessoas analfabetas, 8 são pretas ou pardas e somente 2 são brancas.

Uma pessoa é considerada analfabeta quando não possui habilidades básicas de leitura e escrita em seu idioma nativo. Seja na leitura de coisas mais simples como letreiros de lojas e panfletos até conteúdos mais elaborados como artigos e documentos oficiais.

De acordo com a análise recente da Agência Tatu, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua: Educação 2022, é possível observar que, na região, há um número significativo de pessoas analfabetas com 15 anos ou mais. Segundo os critérios estabelecidos pela PNAD, essa faixa etária é considerada para determinar o analfabetismo.

Os dados revelam que há aproximadamente 2.8 milhões de homens e 2.4 milhões de mulheres que são classificados como analfabetos no Nordeste. O número de homens analfabetos representa 13% da população masculina acima dos 15 anos de idade. Já a população feminina é representada por 10% da população acima dos 15 anos.

Ao analisar o perfil dos analfabetos no Nordeste, é possível identificar, ainda, disparidades raciais. Dos 5.2 milhões de pessoas analfabetas, 4.1 milhões são pretos ou pardos, enquanto 1 milhão é branco. A taxa de analfabetismo no Nordeste  também é mais alta entre homens com 60 anos ou mais. Nessa faixa etária, a taxa atinge alarmantes 32,50% da população. 

Proporção populacional de analfabetos no Nordeste por cor ou raça

A população do Nordeste com 15 anos ou mais é composta por 45,1 milhões de pessoas, sendo que 5.2 milhões delas são analfabetas

Analfabetismo nos estados nordestinos

O Piauí apresentou a maior taxa de analfabetismo, com 15% de pessoas analfabetas de 15 anos ou mais em 2022. Superando estados como Alagoas, que usualmente aparecia com as maiores taxas, mas que dessa vez registrou uma taxa de 14,4%.

Outros estados como Paraíba (13,6%), Ceará (12%), Maranhão (12%) e Sergipe (11,9%) também aparecem com taxas altas. Os estados de Pernambuco (11%), Rio Grande do Norte (10,4%) e da Bahia (10,2%) registraram as menores taxas do Nordeste.

Em Alagoas, a Secretaria de Estado da Educação explica que algumas das ações adotadas incluem a formação de professores e gestores; oferta de materiais complementares para estudantes; aplicação de avaliações diagnósticas para aferir o grau de alfabetização dos alunos e premiação das escolas com melhores resultados. Eles afirmam que são propostas comuns aos estados do nordeste e que oferecem incentivo à educação, tanto na infantil quanto para jovens e adultos.

Dados abertos

Prezamos pela transparência, por isso disponibilizamos a base de dados e documentos utilizados na produção desta matéria para consulta:

Encontrou algum erro? Nos informe por aqui.

Recomendado para você

hanseníase no nordeste

Nordeste é a região que menos reduziu casos de hanseníase no Brasil

Dados do Ministério da Saúde mostram redução de 33,1% de casos de hanseníase entre 2013 e 2022
Capa da matéria sobre empreendedores surdos do Nordeste. Fundo em azul com mãos, em preto e branco, fazendo os sinais em Libras formando a palavra Negócio Acessível".

Empreendedores surdos provam que deficiência não limita capacidade de ter a própria empresa

Reportagem especial traz histórias de três empreendedores surdos e seus negócios
Capa da matéria sobre Mulheres concluintes dos cursos de graduação. Imagem com fundo transparente em tom lilás e duas mulheres negras sorrindo com chapéus de formandas.

Mulheres são mais de 60% dos concluintes dos cursos de graduação no Brasil

População feminina que possui ensino superior completo aumentou de 14% para 21,3% nos últimos 10 anos; proporção reduziu em cursos de tecnologia e exatas
Capa da matéria sobre violência em ambiente escolar.

Combate à violência em ambiente escolar ganha força com nova lei

Legislação surgiu como forma de conter ataques em escolas; 2023 foi o ano com maior quantidade de casos nos últimos 22 anos